O longlining e a febre pela distãncia mais longa

Por Pedro Silva

Foi em 2005 que alguém caminhou pela primeira vez os 100 metros de slackline, um Austríaco chamado Heinz Zak. Esse recorde manteve-se por algum tempo, até que em 2007, a distância de 123 metros foi alcançada por Damian Cooksey, um americano muito famoso dentro da comunidade, que inclusive foi o primeiro a conseguir um frontflip em cima de uma fita. Esse mesmo recorde foi superado pelo próprio poucos meses depois, metendo a marca nos 154 metros de comprimento, e só dois anos depois, em 2009, é que a uma nova barreira foi transposta. Desta vez, a dos 200 metros, com uma nova marca estabelecida nos 203 metros de comprimento pelo famoso duo de alemães Stefan Junghannß e Damian Jörren, ambos figuras de respeito dentro da comunidade pelo seu trabalho naquela que é uma empresa pioneira no mundo do slackline, e de onde vieram várias das inovações que nos permitem a nós, hoje em dia, poder usufruir de equipamento e técnicas de tensionamento cada vez mais específicos para o desporto.

Mas 203 metros já está bem distante da realidade de hoje em dia… Aquilo que outrora foi um enorme desafio alcançado com muito esforço, os 100m, é considerado hoje como um “milestone” necessário para um slackliner se mostrar á comunidade como um longliner dedicado. E quanto aos 203 metros… onde eles já vão! Hoje em dia já existem cerca de 10 slackliners com a marca dos 300 metros alcançada, e o recorde actual vai nos 380 metros, caminhada pelo jovem atleta Danny Mensik, com apenas 17 anos de idade, mas um talento enorme.

Todos estes recordes foram estabelecidos usando fitas de PES (polyester), mas no entanto, se considerarmos fitas de dyneema ou vectran, a história é outra, pois a marca já vai nos 494 metros de comprimento, feito alcançado pelo famoso Jerry Miszewski, também ele uma figura emblemática no desporto. A razão pela qual se deve separar os recordes por tipo de fita, é porque uma composta for fibras de dyneema ou vectran é substancialmente mais leve e tem menor elasticidade que uma fita composta por fibras de PES, algo que influencia demasiado o comportamento de uma slackline, já que esta primeira, é bem mais fácil de caminhar.

Quanto ao futuro, só podemos ficar á espera do que aí vem, tanto quanto sei o Danny já está com ideias de alcançar os 400 metros, e cá entre nós, não tenho dúvidas algumas de que ele o consiga.

O que este desporto evoluiu em apenas 8 anos…! E estamos apenas a falar de uma das várias vertentes que caracterizam este fantástico desporto!