A História do Slackline

Por Pedro Silva

Slackline, ainda que um desporto recente, demonstra um grande potencial e o seu crescimento exponencial nos últimos anos prova-o, portanto, não podia passar despercebido aos olhos da inlineout.pt.

Mas como surgiu?

No início dos anos 80, escaladores residentes do vale de Yosemite nos USA começaram a balançar-se em correntes, cordas e corrimões, segundo consta, para se entreterem durante os dias de repouso em que não escalavam ou chovia. Eventualmente, alguns deles levaram este novo hobby a sério e começaram a usar cintas de nylon, muito utilizadas na escalada, que ofereciam uma dinâmica interessante devido á sua elasticidade, leveza e posicionamento do pé. Nasceu então um novo desporto, que foi chamando a atenção de vários escaladores pelas suas qualidades, nomeadamente no treino do equilíbrio e da concentração. Mas durante muitos anos o slackline ficou-se por um grupo muito restrito de pessoas, embora alguns europeus, que o conheceram através do contacto com os praticantes no vale de Yosemite o tivessem levado para a Europa. Foi através de uma personalidade muito famosa no mundo da escalada, Dean Potter, que a partir de 2003 o desporto começou a ser verdadeiramente difundido, com as suas travessias de fitas em alturas sem levar qualquer protecção e a sua própria invenção, o BASElining.

Com o desporto a ganhar novos praticantes pelo mundo fora, foi a posterior introdução de uma nova vertente no slackline que realmente impulsionou o desporto, o tricklining, que consiste essencialmente na prática de acrobacias em cima de fitas curtas e muito tencionadas, de forma a proporcionar grande impulsão para facilitar saltos e piruetas na fita. É hoje a vertente do slackline mais famosa pelo mundo fora, contando com grande parte dos atletas deste desporto, e com competições Mundiais a serem realizadas todos os anos.